Spirit Rede Social de Fãs de Animes, Mangás, Músicas e Cultura em Geral

Faça sua conta no Spirit e Observe essa Fanfic, assim você será avisado sempre que tiver alguma novidade, você também poderá deixar seu Comentário estimulando o autor a continuar a Fanfic.

Fanfic Meu Doce Mordomo - Capítulo 1

Escrita por ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Erza, Gray, Happy, Lucy, Natsu
Tags Comedia, Fairy Taiil
Exibições 418
Palavras 1.779
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo em que se passa, não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual, sendo vedada a utilização por outros autores sem minha prévia autorização. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Espero que gostem

Capítulo 1 - Mordomo anão Gay


Fanfic / Fanfiction de Fairy Tail - Meu Doce Mordomo - Capítulo 1 - Mordomo anão Gay

De Madrugada...

Uma jovem estava sentada em uma cadeira,encarando uma pilha de contas a serem pagas.Ela lia e relia as contas e fazia os cálculos mentalmente.

“Com mais isso,dará 800 dólares”Pensou Lucy com uma na testa,e suspirando de fracasso.”Não posso mais ficar aqui..”Admitiu ela olhando em volta e vendo seu pequeno apartamento.Ela era pobre,e vivia com seu único Tio Fubuki,que quase nunca parava em casa pois tinha de trabalhar.

Lucy não trabalhava,pois era asmática e ficava deprimida com isso,que nem tinha vontade de sair para a escola,então,ficava em casa aprendendo com os livros de seu tio.

-Bom..vou procurar um emprego.—Disse a si mesma pegando um jornal velho,mas para quando vê que tinha uma carta de baixo do jornal.—Uma carta pro meu tio...—Disse quando leu o remetente.—Acho que não vai se importar se eu ler...—Disse já abrindo a carta.

“Querido Fubuki,Se lembra de mim?Sou eu,a Ur,sua velha amiga.

Sei que já faz tempo,mas estou aqui para lhe pedir se você pode me fazer um favor?É que eu gostaria muito dos seus dons de Mordomo para seguir meu garoto,o Gray,é que ele anda muito “assanhadinho” ultimamente e...bom direi mais coisas assim que chegar aqui.

O salário será de 800 dólares + benefícios,se tiver interessado,você já sabe onde eu moro.

PS:Como vai a pequena Lucy?Espero que vai bem”.

Terminando de ler,Lucy solta um sorriso de vitória e lê novamente a carta.Mas para quando ouve a porta se abrir.Ela esconde a carta num livro e se senta em sua cama.

-Oi,está acordada.—Disse seu Tio assim que a vê.

Lucy apenas lhe dá um sorriso e se deita.

-Hum,tio,eu....gostaria de lhe avisar algo....—Começou meio que tímida.

-Sim?

 -É que hoje,eu...me inscrevi numa escola.—Anunciou.

-Isso é bom,finalmente deixou seu medo de lado.—Disse sorrindo fraco.

Lucy apenas lhe dá outro sorriso.

OoOoOoOoOoOoOoOoOoOoOoOoOoOoOoOoOoOoOoOoOoOoOoOoOoOoOoOoO

Ainda de Madrugada...

Um jovem abria a porta de sua imensa mansão.Estava meio bêbado e não conseguiu desviar de um vaso de plantas que estava no canto da sala de entrada,e o quebra fazendo um barulho estrondoso.

-Droga.—Disse Gray se levantando com dificuldades.

Uma luz é acessa e uma mulher raivosa é vista.

-Gray!Isso é hora de chegar?¹--Exclamou Ur o pegando pelo braço,e colocando-o de pé.

-Desculpa.—Disse ajeitando sua roupa.

-Desculpas?É a única coisa que você tem a disse meu jovem?—Exclamou ela.

-O que mais você quer?—Perguntou indiferente.

-Não quero que você fique andando sozinho de madrugada.—Informou-o.

-Mãe!Eu tenho 16 anos!—Exclamou ele perplexo.*Gray chamava Ur de mãe,pois foi ela quem o adotou num abrigo quando tinha apenas 3 anos*.

-Não quero saber!Daqui pra frente você terá um mordomo!—Disse subindo ás escadas.

-O quê?—Pode ouvir o jovem  gritando perplexo.

OoOoOoOoOoOoOoOoOoOoOoOoOooOooOoOoOoOoOoOoOooOOoOoOoOoOoOo

Bem cedinho,Lucy estava se arrumando.Colocava uma peruca preta e escondia todo os fios loiros que conseguia ver.

“Não posso deixar que Ur me reconheça”Admitiu ela se olhando no espelho e vendo que de fato,ela parecia um menino.

-Nossa!Lucy...por quê se vestiu de menino?—Assustou seu Tio.

-É que...—Começou ela pegando uns livros e indo em direção a porta.—Eu ainda estou insegura.—Disse depois de bater a porta.

Lucy andava rapidamente pela rua.Queria logo chegar na casa de Ur,e começar logo seu trabalho.Ela,havia colocado os livros num canto do prédio,atrás de uns arbustos,para que ninguém visse.

Ela andava ajeitando sua peruca,que a picava.

“Droga!” Pensou ela ainda ajeitando a peruca.

OoOoOoOoOoOoOoOoOoOoOoOoOoOoOoOoOoOoOoOoOoOoOOoOOoOooOoOOoOO

-Não quero nenhum mordomo!—Discutia Gray,colocando sua mochila nas costas.

-Não quero saber sua opinião!—Disse Ur tomando um gole de café.

Gray bufa e se encosta na parede da cozinha e fica ali encarando sua mãe com biquinho.

De repente a campainha toca e ela vai atender.

-Quem é você?—Perguntou ela.

-Sou...—Começou Lucy com a voz fina e logo finge uma tosse e continua falar com uma voz mais grave.—Sou...o filho do Fubuki.—Informou.

-O Fubuki tem filho?—Estranhou Ur.

-Sim!É que ele não fala muito de mim.—Disse ela tentando parecer o mais homem possível.—E me pediu pra vim nu lugar dele.

-Hum...—Disse Ur fazendo um gesto para ele entrar.

Assim que entra,Lucy dá de cara com Gray que ainda estava emburrado.

-Quem é você?—Perguntou cruzando os braços.

-Esse é o seu mordomo!—Informou Ur fazendo um gesto a Lucy.

-O quê?Esse anãozinho?!—Perguntou indo ao lado dela e a olhando de cima a baixo.

-E o que tem?—Perguntou Ur.—Ele é crack em karatê e vai te proteger.

-Hunf!—Bufou Gray a encarando.—E então anão!Qual é o seu nome?

-Meu nome é Lu..................Lu.........Luiz!—Disse por fim Lucy.

-Luiz...—Repetiu Gray escorando na cabeça dela.—Você vai me ser útil.

Terminando a frase Gray anda em direção a porta.

-Vamos logo anão.Não quero chegar atrasado.

Lucy então anda rapidamente atrás de Gray.Eles caminhavam em silêncio,até chegarem a porta da escola.

-Hei!Natsu!—Disse Gray indo até o rosado.

-Fala.—Disse ele.—Olha só meu novo mascote.—Disse apontando para Lucy.

-How!O que sua mãe fez dessa vez?—Perguntou Natsu indo ao encontro de Lucy e apertando sua bochecha esquerda com força.—Olá anão!Você tem uma bochecha engraçada!

-Não é engraçado!—Disse Lucy tentando tirar a mão dele Dalí.

-Esse é o meu mordomo idiota e baixinho que vai cuidar de mim de noite.—Disse Gray revirando os olhos.

-Legal!Mas e ai,hoje a noite vai ter?—Perguntou Natsu caminhando em direção ao portão  juntamente com Gray.

-Com certeza hoje vai ter!—Afirmou Gray entrando no colégio.

-Eu vou ficar aqui!—Disse Lucy se sentando num banco em frente a escola.—Seu idiota!—Terminou quando o portão foi fechado.

O dia foi se passando e logo,Gray e Natsu estavam saindo.

-Vamos logo mordomo anão,temos que a umas festas.—Disse Gray caminhando em direção á uma rua que dava para todos os lados,Boates.

Lucy a sentiu com a cabeça e o segue em silêncio.

-Hum Gray...—Começou Lucy.

O moreno se vira para encará-la.Assim que encontra seu olhar,Lucy congela como um iceberg e fica sem fala.

-Há!Muito obrigado por ter mi lembrando!—Disse Gray jogando sua mochila para a loira e se espreguiçando.—Eu iria ficar com uma baita dor nas costas.

Sem dizer mais nenhuma palavra,Lucy o segue dentre uma multidão de prostitutas que de repente aparecera ali,naquela rua.Ela pode notar que Gray estava entrando numa das boates e logo o segue.

Ela ficava ali,sendo empurrada pelas pessoas que dançavam loucamente.”Que lugar horrível!”Pensou Lucy olhando em volta e percebendo ás “bobagens” que as pessoas ali faziam.E sem demorar ela encontra Gray beijando uma menina totalmente desconhecida.”Eca!” pensou Lucy assistindo os dois,se beijando como loucos.Ela pode perceber que Natsu também beijava uma desconhecida.

“Socorro!”Pensou antes de ir atrás de Gray que estava saindo da boate seguido por Natsu.

-Vamos naquele ali!—Pode ouvir Natsu.

Lucy andava atrás deles com dificuldades.

“Droga de mochila pesada Gray!”Pensou quando caiu de cara no chão.

Assim que se levanta com dificuldades ela percebe que um traveco andava na direção dela.

-Há não!—Disse Lucy correndo para onde Gray havia entrado.

-Venha aqui delícia!—Pode ouvir o traveco.

Assim que entra na nova boate,Lucy nota que Gray bebia tudo o que lhe serviam,e sem demorar muito,ele beijava uma desconhecida.

-Nojento.—Murmurou Lucy se sentando na mesa dele.

-Olha!Seu mordomo ta na seca Gray.—Brincou Natsu depois de beijar uma das garçonetes.

Gray riu da cara de Lucy e logo,uma Stripper subiu na mesa deles.

Natsu e Gray soltaram largos sorrisos enquanto bebiam loucamente.

Lucy olhava para a mulher semi-nua assustada.Assim que notam a expressão facial de Lucy,Gray e Natsu soltam gargalhadas.

-Ai Gray,acho que teu mordomo é Gay.—Disse Natsu.

-Sério?Nossa que vacilo!—Disse entre risadas Gray.

-Vamos embora!—Disse Lucy olhando seu relógio.—Já são meia noite.

-Í, relaxa mordomo anão Gay.—Disse Gray bebendo de uma vez uma vodka.—A coisa aqui está só começando.—Disse indo em direção há uma garçonete semi-nua.

Lucy então vai atrás de Gray que novamente beijava uma estranha,bebia e dançava como um bêbado.Depois de mais de 2 horas assim,Lucy percebe que Gray andava rapidamente ao banheiro.

-Hei,mordomo anão Gay!Venha aqui!—Gritou Natsu que estava na porta do banheiro.

Lucy anda em direção á ele e logo o encara séria.

-O que foi?

-Gray está passando mal,ele é fraquinho,e não agüenta beber muito,então acho melhor levá-lo pra casa.—Disse Natsu depois de ir andando atrás de uma garçonete.

-Mas....eu não posso entrar num banheiro masculino!—Disse Lucy agarrando o braço dele.

Natsu começa a rir de Lucy e logo continua andando.

-Você vai longe.—Pode ouvir Natsu.

Lucy então solta um suspiro de derrota e entra no banheiro Masculino.E sem demorar muito,ela vê Gray jogando seu almoço e café da manhã pra fora.Ela vai até ele,e põe uma mão em seu ombro.

-Vem,vamos pra casa.

Gray então a sente com a cabeça e a segue.

-Poxa mordomo,eu ainda to tonto,então...—Começou ele.—Me carrega.—Disse se jogando nas costas dela.

-Gray você é pesado!—Disse Lucy quase caindo no chão,por causa do peso dele.

-Me leve pra casa.—Disse ele com voz de embriagado.

Os dois então caminhava,ou melhor,Lucy tentava caminhar,carregando o Gray nas costas.

-Puxa mordomo anão gay,você é cheiroso.—Disse.

Lucy então soltou um suspiro e o soltou.

-Escuta aqui Gray,se a Ur ti ver assim ela vai pirar!—Disse Lucy tentando arrumar a roupa dele.

Gray,então deu um passo a frente e sem querer,caí em cima de Lucy.

-How,mordomo anão Gay.—Ele dizia com o olhar fixo nus dela.—Você tem peitos.

Ele agora apalpava um dos seios da menina.

-Isso é...estranho.—Admitiu ainda apertando.

Lucy que estava vermelha como um tomate,segura seus punhos para não dar um soco nele.

-É uma doença!—Disse o empurrando e fazendo-o sentar no chão.

-Nossa!Você é muito estranho.—Disse rindo como um idiota.

Lucy então suspira e percebe que tinha uma farmácia logo ali,e corre até lá.Ela tinha o celular de Gray em mãos.

-Alô?Eu gostaria que o motorista do senhor Gray visse nus buscar.—Dizia enquanto entreva na farmácia.—Sim,nessa rua.—Disse quando o homem chutou o nome da rua que eles podiam estar.—Tá valeu!—Terminou desligando o celular.—Oi eu gostaria....

-De um remédio de enjôo?—Perguntou o homem.

-É.

-Aqui,são 20....—Começou o homem.

-Valeu!—Disse ela jogando uma nota de vinte dólares no balcão e correndo.

Assim que sai da farmácia ela percebe que Gray estava sentando no passeio.

-Aqui,toma.—Disse lhe entregando um comprimido.

O moreno então engole o comprimido e solta uma risada.

-Mordomo anão gay...você é loiro?—Perguntou a olhando.

Lucy então passa a mão no cabelo e logo vê que sua peruca havia caído.

-Cadê?—Gritou olhando para trás e vendo que ela estava na porta da farmácia.

A menina então corre e a coloca de imediato.

-Escuta aqui seu moreno retardado.—Começou ela em voz séria.—Você não vai comentar esse “imprevisto” com a sua mãe não entendeu?

-Que imprevisto?—Perguntou ele.

-Exatamente!—Disse Lucy o empurrando para dentro do carro,que havia acabado de chegar.

Assim que chega em casa,Lucy joga Gray em sua cama e solta um suspiro de vitória..

“Agora,eu vou correndo pra casa e inventar uma desculpa pro meu pai.”Pensou Lucy jogando a mochila dele num canto do quarto e correndo em direção ás escadas.

-Com licença.—Pode ouvir a voz de Ur.—Podemos conversar?

Lucy se vira assustada.


Notas Finais


Espero que tenham gostado

Outras fanfics de Any29


Gostou da Fanfic? Compartilhe!
Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho dos outros deixando um comentário.

Para isto, Cadastre-se ou faça seu Login!


Carregando...