Spirit Rede Social de Fãs de Animes, Mangás, Músicas e Cultura em Geral

Faça sua conta no Spirit e Observe essa Fanfic, assim você será avisado sempre que tiver alguma novidade, você também poderá deixar seu Comentário estimulando o autor a continuar a Fanfic.

Fanfic Era apenas meu primo - Capítulo 1

Escrita por ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Angel, Bacchus, Cana, Erza, Gajeel, Gray, Jellal, Juvia, Levy, Loke, Lucy, Lyon, Makarov, Meredy, Minerva, Mirajane, Natsu, Rogue, Sayuri, Shadow, Sting, Ultear, Virgo, Yukino, Zeref
Exibições 5.152
Palavras 1.293
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Ecchi, Escolar, Famí­lia, Festa, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo em que se passa, não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual, sendo vedada a utilização por outros autores sem minha prévia autorização. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Minha primeira fic.
Sugestões e críticas sobre a Fic serão bem vindas.

Capítulo 1 - Capítulo 1


                                                            Lucy Pov           

O vento soprava forte naquela noite gélida, as primeiras gotas de chuva começaram a desabar e, a escuridão do céu, insinuava que uma tempestade forte estava por vir. Os sons e a luminosidade que o impacto dos trovões provocava me causavam arrepios. Eu só possuía uma única saída, por mais humilhante que fosse eu iria faze – lá.

Abri cautelosamente a porta do quarto de meu primo. E, em passos rápidos adentrei - o. Por mais que eu odiasse – o, não havia mais a quem eu pudesse recorrer. Éramos os únicos naquele recinto.

-Gray... –O chacoalhei, contudo não obtive resposta. Garoto Maldito. Deitei - me ao seu lado, quase que de imediato, ele abraçou – me. É bom que esse pervertido, não esteja tendo um sonho erótico; fiquei tão vermelha quanto um pimentão com tal pensamento. A chuva trazia lembranças das quais eu, preferia não me recordar. Mas precisamente, a morte de minha mãe. Ela havia falecido em uma noite chuvosa, semelhante a esta.

                            Quebra tempo – Algumas horas depois

 

Acordei meio sonolenta, minhas pálpebras pesavam. Após acostumar – me com a claridade dei – me conta de que havia dormido de coxinha com o Gray.

-O que está fazendo aqui? –Gray sussurrou em meu ouvido, soltei – me rápido de seus braços.

-Nada, só fiquei com medo ontem à noite. –Me expliquei.

-Criança. –Ele me empurrou da cama; caí de bunda no chão.

- SEU IDIOTA. –Gritei visivelmente enfurecida.

-Some do meu quarto. Ou melhor, pode ficar. –Me olhou malicioso, só então percebi que estava com um vestidinho curto.

-Já disse o quanto te odeio? –Me levantei e me pus para fora do quarto. Gray sabe me tirar do sério como ninguém. Fui para meu quarto, tomei um longo banho. Em seguida, fiz minha higiene pessoal e, desci para tomar café. Gray já estava de pé.

-Lucy, vai querer alguma coisa diferente para o café? –Virgo perguntou.

-Não Virgo, obrigado. –Sentei-me, peguei um copo de suco e algumas torradas. Gray foi até a geladeira e, pegou um pote de sorvete.

-Gray você é retardado? Que tipo de pessoa toma sorvete pela manhã?_ Indaguei incrédula.

-Eu? –Fez cara de tédio e saiu.

Minha vida não é uma das piores, mas também não é das melhores. Meu pai dificilmente se encontra em casa, minha mãe morreu há seis anos. Tenho que conviver com meu primo. O garoto é muito criança e isso, sem falar que não passa de um convencido arrogante. Terminei meu café e, fui para a sala onde Gray se encontrava deitado com a sua namorada.

-Iae Lucy. –Ela acenou.

-Oi Angel. –Respondi sorrindo.

     Eu já tinha brigado feio com a Angel uma vez, por causa do Gray, mas no fim nós nos resolvemos. Afinal, ela não deve se preocupar com a minha pessoa, mas sim, com essas vadias que andam dando em cima dele. Gray me olhou e virou o rosto.  Fiz o mesmo. Desprezo eterno. Subi as escadas até meu quarto, às lembranças da minha mãe logo me vieram á mente.

                              Lucy off

 

                             Gray On

Estava de boa com a Angel até que, ela começa a falar.

-Amorzinho da minha vida.

-Me chamou de amor, vai pedir alguma coisa._ Debochei.

-Mentira.

-Tem certeza? –Beijei o pescoço dela.

-Tenho. –Deitou a cabeça em meu peito. -Amor.

-Fala minha anjinha.

-Conta uma estória para mim?

-De que?

-Dos anjinhos.

-Está falando serio? –Fiz cara de tédio

-É amor...

-Não, você não é mais criança._ Neguei seu pedido.

-Você é um chato e não me ama. –Se levantou cruzando os braços, com seu típico drama.

-Chantagem emocional?

-É.

-Tá, eu vou contar. –Revirei os olhos.

-Ebaaa - Pulou em cima de mim.

Não vou mentir eu gosto da Angel, mas às vezes ela se comporta como criança, o que me deixa irritado. A garota é gata, sem falar que é muito gostosa, ela está sempre pegando no meu pé, cobrando fidelidade. Não prometo nada, não sou homem de uma mulher só. Se quiser ficar comigo, vai ter que aceitar as outras.

Depois de um bom tempo ela foi embora, olhei no relógio que marcava 15h00min da tarde.

-Caralho. –Subi correndo as escadas, em direção ao meu quarto. Vesti uma camisa polo branca, fiquei com a bermuda que trajava e calcei um tênis all star. Hoje a galera vai se reunir na casa do Natsu. Fui ao quarto da Lucy, sem ao menos avisar, fui logo entrando.

-Loira oxigenada vam... –ela estava chorando?

-Sai daqui. –Escondeu o rosto.

-Qual é a sua chorona? Você vai ficar?

-Vá sem mim. –Jogou o travesseiro, facilmente desviei.

-Ah mais você vai sim. –A peguei nos braços, se eu não chegar com ela, a Erza vai me matar.

-Me solta Gray. –Começou a se debater.

-Se não ficar bem paradinha eu vou te morder- Joguei-a em meu ombro. Sabe quando se leva um saco de batatas? Bem assim. Vendo que ignorei todos os seus protestos, ela parou de se mexer.

-Boa escolha- desci as escadas com ela reclamando.

-Pode me colocar no chão- Fiz o que ela pediu.

Tirei meu carro para fora, minha linda Ferrari preta que eu amo; tô pensado em me casar com ela. Assim que Lucy entrou no carro, dei partida. Fui a toda velocidade.

-Vai devagar Gray.

-Claro amor- Falei com malicia.

-Nojento- Virou o rosto corado.

-Por que estava chorando?

-Não importa, e sabe o que mais me dói?

-O que?- Perguntei confuso.

-Você ver que eu tô mal e fingir que se importa.

-Lucy muda de assunto- Não sou o tipo de cara que é bom com as palavras, e ela sabe bem disso. Mesmo brigando a todo o momento, eu me importo porra.

-É... Você sempre, sendo você mesmo- Ela abaixou a cabeça. Eu sei de tudo o que ela passa, começando pelo pai e terminando com a mãe. Eu faço o que posso, mas sou muito orgulhoso, maldito orgulho.

Logo chegamos, ela desceu do carro batendo a porta com toda força. Eu mato.

-Sua peituda! Cuidado com meu bebê!

-Calado seu tarado.

-Guria dorme comigo hoje que eu te mostro o tarad...

-O que ia falando Gray?- Erza apareceu. Gelei.

-N...Nada Erza- Peguei mão da Lucy.

-Sínico- A loira me puxou para dentro.

-Iaee Lucy- Natsu a cumprimentou, enquanto comia sei lá o que.

-Oi Natsu- ela respondeu.

-Tô aqui também seu merda- ironizei.

-Quando você chegou seu gay?- Natsu me olhou provocativo.

-Nem pensem em brigar- Erza alertou.

-Nem tava afim mesmo- Natsu deu de ombros.

-Gray, seu gostoso - Cana me abraçou por trás.

-Sou comprometido- Falei rindo.

-Jura que não dá nem uma escapadinha?-Ela ficou de frente pra mim, sorrindo.

-Err...-Lucy me olhou- busca um copo de água para mim?- fui direto para a cozinha, a Cana só podia ter merda na cabeça para perguntar isso na frente da Lucy. Mas é claro que fico com outras, e Cana tá nessa lista. Agora a Lucy vai ficar enchendo minha paciência.

-Gray- A loira chegou à cozinha; não disse?

-O que?- Enchi o copo de água entregando a ela.

-Você namora a Angel, seu idiota! Pare de ficar com outras.

-Não se mete guria.

-Você é uma criança, sabia?

-Tá se achando à adulta.

-Que saber? Não vale a pena falar com você. Só sabe brincar com os sentimentos alheios.

-Valeu pelo sermão, senhora não pega ninguém- Sorri em sinal de vitória.

-MENTIROSO- Gritou.

-Me fala quantos já pegou?

-N... Não importa- Virou à cara. Cana chegou à cozinha, bem na hora que eu ia zoar ainda mais a Lucy.

-Vocês vão acabar se casando. - Ela brincou.

-Cana não brinca com isso! É muito sério, minha vida estaria acabada- Falei rindo.

-Não vou nem responder- Lucy saiu da cozinha.

-Meu beijo?- Fiz bico.

-Vem moreno- Cana me puxou.

                                     Gray off


Notas Finais


O q acharam? ~LE BETADO PELA NATALLYE e.e

Outras fanfics de Anya-

Fanfic / Fanfiction Fake
Fake
Favoritos 56
Fanfic / Fanfiction Personal taste
Personal taste
Favoritos 151
Fanfic / Fanfiction Stop
Stop
Favoritos 247

Gostou da Fanfic? Compartilhe!
Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho dos outros deixando um comentário.

Para isto, Cadastre-se ou faça seu Login!


Carregando...